Contemplação

210/365 – 29 de julho de 2015*

mato

Certa vez fui num passeio num parque magnífico, mas o excesso de zelo e cuidados em torná-lo turístico fizeram com que eu perdesse um pouco o encanto. Tudo parecia mi-li-me-tri-ca-men-te calculado pra agradar, tirando obviamente a beleza da floresta, tão gigantesca e natural.

Sou assim, gosto do que é cru, da obra natural do criador para que eu mesma possa explora-lá à minha maneira. E pude experimentar isso em recente viagem à Chapada dos Veadeiros, lugar magnífico, rústico, seco, de flores em meio às plantas que pegam fogo sozinhas. Por do sol que cai em meio à beleza do Cerrado e deixa tudo dourado, reluzindo como obra cara da criação, totalmente disponível à contemplação.

Deleite-se!

Fonte da imagem: acervo pessoal.

* este texto faz parte do meu Projeto 365, que em 2015 foi baseado no livro 365 Dias Extraordinários {O Livro de Preceitos do Sr. Browne}, de R. J. Palacio. Os textos são pensamentos aleatórios, inspirados nas frases do livro, uma para cada dia do ano. E que resolvi compartilhar com vocês agora, em 2016, pois senti muita saudade de blogar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Projeto 365. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s