Comparações inúteis

Nunca fui muito chegada no programa Saia Justa do GNT. Sempre achei o tom das apresentadoras um tanto quanto metido à besta, com um toque de superioridade e intelectualidade (uau que palavra feia) além da conta pra mim. E olha que ironia, o assunto de hoje está matutando em minha cabeça desde um dia que assisti o tal programa.

Vale destacar que a composição das apresentadoras mudou bastante recentemente, assim se tornou mais superficial, o que em minha opinião é o adequado para um programa de TV.

– Ah gente, TV pra mim é de vez em quando, e nesse de vez em quando quero ver umas futilidades. Não coisa séria.

Numa tarde de sábado eu estava escrevendo com a TV ligada e elas citaram uma atriz que eu adoro Anne Hathaway, aí me chamou atenção e eu parei pra ver onde o assunto ia dar. Elas faziam comparações entre Anne com outra atriz, Jennifer Lawrence (do filme O lado bom da vida), que aliás eu nunca tinha ouvido falar.

Eu sinceramente não sabia muita coisa delas, mas parece que Anne faz uma linha garota certinha, ativista, vegetariana, culta, quietinha, e Jennifer é a porra louca, que fala o que bem quer, não faz média, que deu um pito no Jack Nicholson, e que poderia ser sua melhor amiga. Isso tudo segundo a visão das apresentadoras. Que confirmei uns dias depois pela internet ser também a visão da grande massa: as pessoas não acreditam muito na pinta boa moça de Anne, ao contrário de Jennifer que poderia sair facilmente com você pra tomar uma cerveja.

Aquilo de certa maneira me incomodou, principalmente pelo fato de que sou uma pessoa mais discreta e introspectiva, que apesar de ter um blog e de falar mais do que papagaio na areia quente, não fico abrindo minha vida pra todo mundo e definitivamente não tenho pinta de ser sua melhor amiga pra sempre, apenas pelo olhar. E não, não te conheceria numa livraria e te chamaria pra tomar uma cerveja, pois além de introspectiva sou desconfiada até as tampas.

– Por ser assim então, estou condenada a uma imagem de falsa? Ou a uma vida solitária? E que ninguém acreditaria que sou assim mesmo? Mais recatada?

– Será que a porra louca é tão desencanada assim ou seria igualmente um marketing que dizem que a outra faz pra conquistar público?

Que mania besta as pessoas têm de comparar as pessoas, vocês não acham? Eu já passei por isso várias vezes, porque quem me conhece e conhece minha irmã, por exemplo, nota uma grande diferença de personalidade entre nós. Eu já fui taxada de chata só por que sou diferente dela. Bem no estilo comparação inútil. Como se o jeito de uma fosse o certo e consequentemente da outra fosse o errado.

– Sim, como se tudo na vida tivesse certo e errado.

Eu já falei algumas vezes que fui super tímida na infância. Uma coisa bem séria mesmo. Não olhava pros lados. Hoje pra quem me conhecer depois da fama, ops, depois da síndrome de tímida, talvez nem me ache tímida ou introspectiva, mas eu sou. Hoje me sinto mais segura, adoro falar em público e faço coisas que não atribuem aos excessivamente tímidos, mas a minha natureza será pra sempre de uma pessoa tímida, recatada e desconfiada, que realmente não se joga nas coisas e pessoas. E embora a palavra não exista há quem rime timidez com mitidez. Sim, tem muita gente que me acha metida.

– “Tão diferente da irmã… tsc tsc tsc”!

E uma prova de que as pessoas julgam sem conhecer, é que já ouvi uma porção de vezes essa frase: “nossa Tati, eu achei que você fosse tão metida, mas você é tão legal”.

E não estou querendo dizer ou te obrigar a achar que sou “super legal”, mas apenas te mostrar o quanto as pessoas julgam. Talvez nem elas tenham noção disso. E eu acho que julgam simplesmente por que ser assim não é o comum, então acham que é de certa maneira errado e chato. Não respeitam a maneira de viver de cada um. Principalmente se ela for diferente da maioria.

Penso que comparar as pessoas seja algo tão lugar-comum sabe? E esse preconceito impede muita gente de se abrir para o novo. Isso eu aprendi quando fazia terapia, de sentir antes de sair julgando, de se abrir pro outro lado, entender os reais motivos das pessoas serem e fazerem o que fazem. Sei que não é fácil e não me coloco alheia a isso, mas é algo que me faz parar pra pensar sempre que conheço alguém. De dar uma chance e aí depois de um tempo tirar minhas conclusões de forma justa. E posso te garantir que muitas vezes vêm gratas surpresas de pessoas que eu nunca imaginaria gostar.

E pra provar que posso parecer metida à besta, mas sou no fundo “super legal”, vou te dar uma receita igualmente metida à besta: Eggs Benedicts

– Nossinhora como esse nome é metido à besta!

E pra ficar legal aqui no Deletei da Vida ela terá seu nome aportuguesado. Então, com vocês:

Ovos Beneditinos

Quero agora!!!

Quero agora!!!

Essa receita consiste em algumas etapas que são: fatias de pão, fatias de bacon, ovos pochê e molho holandês. Vou deixar aqui exatamente como peguei da fonte, mas te recomendo que assista a esse vídeo para ver o modo de fazer. Rita Lobo dá uma dica ótima para os ovos pochê e o jeito certo de fazer o molho.

Molho holandês:

100 g de manteiga – 1 gema – 1/2 colher (sopa) de vinagre – sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto.

Modo de fazer: leve ao micro-ondas uma tigelinha com a manteiga para derreter e reserve. Numa panelinha, coloque cerca de dois dedos de água, leve ao fogo médio e desligue quando começar a ferver. Junte a gema e o vinagre numa tigela média e mexa com um batedor de arame para incorporar. Adicione 1 colher (sopa) da água aquecida na mistura de gema e bata bem. Encaixe a tigela na panelinha com água fervente para fazer um banho-maria. Bata vigorosamente até a mistura espumar. Junte a manteiga derretida lentamente, batendo sempre. De vez em quando, coloque o dedo na tigela para checar a temperatura do molho. Preste atenção, pois precisa estar quente. Se esfriar, ligue novamente o fogo, mas sem deixar a água do banho-maria ferver para não correr o risco de cozinhar a gema e talhar o molho. Quando o molho encorpar, tire do banho-maria e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Reserve.

Viu? Veja o vídeo!

Ovos pochê:

4 ovos – filme plástico – água

Modo de fazer: para fazer os ovos pochê, leve uma frigideira alta bastante água ao fogo médio. Quando ferver, abaixe o fogo. Recorte 4 quadrados de filme de 30 x 30cm e coloque sobre um prato fundo. Unte o filme com um pinguinho de óleo e quebre um ovo dentro. Una as pontas do quadrado, para que forme uma trouxinha. Se quiser fazer todos os ovos de uma vez, dê um nó em cada trouxinha. Repita o processo com todos os ovos. Leve a trouxinha à frigideira com água fervente e mexa delicadamente, fazendo movimentos circulares. Isso fará com que o ovo pochê fique com um formato mais bonito. Passados 3 minutos, retire o filme com cuidado e deixe o ovo cozinhar por mais 1 minuto na água. Com uma escumadeira, transfira o ovo para uma tigela com água fria. Repita o procedimento com os demais ovos e reserve. Na hora de servir, se quiser, volte os ovos à água fervente e deixe aquecer por 30 segundos.

Viu como sou “super legal”? Veja o vídeo!!!

Demais ingredientes e montagem:

4 fatias de bacon com o lombo (se a vontade for grande como a minha, faça somente com o bacon) – 2 fatias de pão para torta fria (eu usei fatias de pão de forma que retirei a casca, para este caso seriam 4 fatias) – páprica a gosto (opcional) – sal a gosto – folhas de salsa a gosto (opcional) – óleo para untar.

Modo de montar: aqueça uma frigideira média e coloque um fio de óleo. Junte as fatias de lombo com bacon (no máximo 2 por vez) e doure dos dois lados. Reserve. Leve à torradeira ou forno quente as fatias de pão, apenas para aquecer (eu fiz isso na frigideira mesmo). Coloque as fatias de pão no prato e espalhe um pouco de molho holandês. Por cima, coloque duas fatias do bacon com lombo e dois ovos pochê. Regue com mais molho, salpique folhas de salsa e polvilhe páprica a gosto. Repita o procedimento com o outro prato e sirva a seguir.

Não preciso dizer para ver o vídeo certo? Principalmente se você nunca viu ovos beneditinos na sua vida. Lendo assim parece super difícil, mas tenho certeza que depois que assistir o vídeo suas lombrigas vão te implorar para que você tente.

Dica: simplesmente não dá pra explicar que gosto tem esse molho holandês. Só te digo que é divino. E o ovo com gema mole é algo que eu piro totalmente o cabeção. Com o pão tostado então e o pedacinho de bacon frito, é pra comer rezando e chorando de felicidade. E olha, é uma receita meio gourmet, super metida à besta, então se quiser impressionar alguém, faça, mas sugiro testar antes pra ficar perfeito, porque é um pouco trabalhoso. E se alguém disser que não irá conseguir, vai lá e faz com toda vontade. Só pra contrariar opiniões lugar-comum. E se ainda assim a pessoa insistir com uma comparação inútil, por exemplo dizendo que o da Rita Lobo parece bem melhor, coma tudinho na frente da pessoa e não ofereça nenhum pedaço.

Essa gema mole pra mim é um escândalo!!! Amo!!!

Essa gema mole é um escândalo pra mim!!! Amo!!!

Até quinta com o post 16/24

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Desabafos, Projeto 24 posts, Receitas Rápidas e Lanches. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Comparações inúteis

  1. Deise disse:

    Como sempre digo, essa é minha irmã, talentosa, amável, carinhosa, inteligente, super legal (pra mim pelo menos….kkkkkk), determinada, focada, linda, tímida, diga-se de passagem corajosa, ousada, cheia de fibra, enfim, essa é parte de você e eu amo você, mesmo com todas as suas “não qualidades”, não digo defeitos pois eles são relativos, para algumas pessoas você pode ser chata, pelo fato de ser uma pessoa culta, eu não sou culta, sou muito doida, mas para mim você é maravilhosa, pois, enxergo em você o seu melhor, esse é o segredo da vida, de sermos felizes, algo bem clichê mas verdadeiro: “Amar o teu próximo, como a ti mesmo.” Esse é o meu lema e se fosse o de todos os seres humanos, teríamos um mundo tão perfeito…. Te amo princesa e não canso de dizer que sou sua fã. Que sempre me espelhei em você para muitas coisas nessa vida, você sabe disso!

    • Ui! Assim fico até vermelha! hahaha. E vão pensar que é tudo mentira o que escrevi, com tantos elogios…
      Mas vc tocou num ponto bem verdadeiro, “enxergar nas outras o que elas têm de melhor”. E graças a Deus nem todas são assim.
      Te amo gatona, e ao contrário do que algumas pessoas costumam pensar, que entre duas pessoas diferentes como nós, há competição e inveja, eu acho justamente o contrário, existe muita torcida e incentivo. Muita!
      Também sou sua fã. Muito!
      Beijocas!!!

  2. Vanessa disse:

    Nossa senhora, como me identifico com vocêeee!! Fico impressionada com isso, sempre que leio seus textos.
    Essa semana estava justamente pensando nisso: este preconceito que sofremos, justamente por não sermos iguais as pessoas mais populares…
    Enfim, felizes daqueles, que se aproximam de verdade, que acabam nos conhecendo e percebendo como nós somos “super legais” kkkkkkk… bjossss

    • Tô pra responder aquele seu email e isso faz parte dele, também fico impressionada de termos ficado tanto tempo longe e perceber tanta afinidade. Coisa de sangue mesmo.
      Junte-se a mim Van. E sejamos como somos. E olha, uma coisa é verdade, amigos que “suportarem” estar ao nosso lado são amigos de verdade! hahaha
      Beijuuuuuuuu

  3. Ana disse:

    Também sou do seu time, Tati. Sempre fui a quietinha, tímida, a chata e esnobe! hahahahah Meu marido é igual. :) Antes de conhecerem o André, pensam que ele é super sério, distante, metido. A definição desse nosso tipo de personalidade é que somos introspectivos. A pessoa instrospectiva não é necessariamente tímida, mas ela, digamos, curte ficar mais sozinha, não tem muita paciência pra socializar o tempo todo. Não que não goste de ficar perto das pessoas, mas não o tempo todo e não de muita gente ao mesmo tempo. Entre outras coisas.

    Eu “conheci” a Jennifer Lawrence no filme Jogos Vorazes. Se você não viu, veja! Muito bom! O livro é ainda melhor, como sempre, né?

    • Que bom ouvir tudo isso Ana, de repente nem somos tão minoria assim né? Pq o marido é igualmente introspectivo, mais do que eu inclusive.
      E curto essa definição de introspecção, pq realmente não sou tímida de carteirinha mais :)
      Ah vou ver o filme, já tinha ouvido falar, mas sempre achei que fosse de terror acredita? Por causa do título! Devo associar com Jogos Mortais… rsrsrs
      #aloka
      bjs

  4. Luciana disse:

    Tati,

    Odeio comparações tambem! Cada pessoa, uma pessoa, uma vida, um background, uma personalidade. Minha sogra tem uma mania terrivel de comparar as pessoas e inclusive com ela mesma (ela se colocando como modelo) e eu acho triste e infantil. Nao gosto, e sofri na pele na ultima visita ao Brasil (e se estou comentando isso aqui é porque nao digeri a historia ainda, to me dando conta).

    Bom, me lembro que no passado eu fui super introspectiva e bastante timida, mas hoje em dia quase nao me reconheco! Acho ate que o blog tem me ajudado, sabe? No passado eu tinha MUITA dificuldade de falar de mim mesma, de dar opiniões e hoje em dia tenho me sentido cada vez mais à vontade em assumir o que penso, o que sou… sou mais segura e importo menos com o que os outros vão pensar.

    Mas continuo no time da Ana, que adora momentos sozinha. Se eu ficar encontrando pessoas o tempo todo, sinto uma certa frustração, nao sei explicar. Me dá uma vontade terrível de sair correndo e ficar comigo mesma. :)

    Enfim. Acho que meus comentários estão meio bagunçados hoje. Vou escrevendo, escrevendo e no final vejo que falta certa coerência. Mas to feliz de estar conseguindo finalmente, me atualizar com seu blog! :)

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s