O que vi da vida sem Facebook

– Oi meu amigo, tudo bem? Quanto tempooooo!!! Já estava com saudade…
– Como saudade se nos vimos não tem nem 6 horas?!?!
– Ah, mas pareceu uma eternidade…
– E aí? Alguma novidade entre meia-noite e seis da manhã?
– Nenhuma não, na verdade depois que nos falamos eu fui dormir e acordei nesse minuto. Tô na cama ainda. E eu que pergunto, alguma novidade?
– Por aqui parece sempre ter novidade, mas sabe como é, trabalho 24X7, então vejo de tudo, mas vou te falar que parece ser sempre a mesma coisa, as pessoas falando a mesma coisa, curtindo as mesmas coisas, é foto de pé, de gato, de comida, post de revolta, muro das lamentações, “minutários” e trocas de indireta a todo vapor e…ei, você ainda está por aí?
5 horas depois
– Oi, sim, estava, ufa, voltei, na verdade depois de falar com você eu me perdi um pouco com links, notícias, vida pessoal alheia, fofoquinhas, receitas, vídeos… uau, estou até cansada. Desculpe, mas diz aí, alguma novidade?
– Por aqui parece sempre ter novidade, mas sabe como é, trabalho 24X7, então vejo de tudo…

Esse bate-papo fictício entre o Facebook e eu te leva a alguma semelhança? Já pararam pra pensar como no Facebook é sempre mais do mesmo? E como isso aliena???

Agora pensem vocês numa receita de bolo meio trash que leva: confusão metal, revolta, sintomas de saudade e nem um pingo de paciência. Pois é, surtei legal e tive que recolher os cacos por aí. E quando estou assim recolhendo cacos eu quero fugir, e ficar recolhida num canto, bem quietinha até a confusão passar.

– Mas o que afinal isso tem a ver com Facebook Tatiane?

Sei lá, só sei que olhava pro Facebook e essa receita maldita parecia não sair dos meus miolos, então dei um basta e prometi pra mim mesma que ficaria uns dias sem Facebook. E fiquei. Eu só entrava em dia de post do blog, ia direto pra fã page, postava por lá e pronto, fechava tudo. Não tive um pingo de curiosidade pra ver o que as trocentas notificações não lidas queriam dizer pra mim. E até hoje não olhei.

Exceções foram apenas três: postar feliz aniversário pra minha irmã, colocar o post sobre as manifestações no Brasil e colocar um momento revolta de um dia bem difícil. Mesmo assim não voltei em nenhuma delas pra ver se alguém tinha curtido, comentado ou sei lá o que mais. Até agora estou sem saber.

Como eu às vezes conjugo o verbo “porrar”, verbo que significa, “dar no saco”, “encher o saco”, “para tudo que quero descer”, eu porrei! Porrei do Facebook com todas as letras. E continuo porrada.

E por lá não voltei ainda como usuária ativa. Daquelas que saem rolando, rolando, rolando em busca de tudo. E vou te falar que meus dias ficaram mais leves sem tanta informação. Porque assim, o Face é uma ferramenta fantástica de interação, mas é uma espécie de Triângulo das Bermudas. Aliás, a internet como um todo.

E como foi bom passar uns dias de total alienação do mundo moderno. Não sei o que pensaram minhas amigas ativistas de parto natural sobre a questão do Ato Médico, não sei o que pensaram os recém-politizados sobre as manifestações no Brasil, não sei o que pensaram os futuros técnicos de futebol sobre a Copa das Confederações. E pra saber se o meu querido Nelson Mandela havia morrido eu tive que entrar algumas vezes por dia em sites de notícias. Olha que maravilha! Old school total numa era de Face, Twitter, Instagram e Blogs, onde tudo está a uma rolagem apenas.

E quero continuar assim, sem a busca incessante por tudo o que ocorre no mundo dos mortais e imortais. Quero ser surpreendida. E postar sem aquele ímpeto de diário sabe? De mensagem do dia. Entrar naquele maldito Facebook quando realmente tiver vontade de ver algo específico ou de dizer algo que realmente valha à pena. Sem rolagem desenfreada.

Sei que pra quem mora longe as redes sociais são redes essenciais, não dá pra viver sem elas, mas dá pra balancear. Portanto amigos e não tão amigos, talvez eu não fique sabendo de seu noivado, gravidez, separação, emprego novo, doença, viagem maravilhosa e o que mais quiser contar. Mas meu email e celular continuam os mesmos.

E pra fechar o post vou te mostrar em fotos o que fiz durante os 24 dias oficiais sem Facebook:

Projeto1

Dia 1: Trabalhei (piada interna), afinal quem nunca deixou de fazer um relatório ou qualquer coisa chata do trabalho pra dar uma espiadinha no Face heim?)
Dia 2: Dei um trato na casa
Dia 3: Separei todas as compras da feira, lavei, deixei de molho, sequei e guardei. Ufa.
Dia 4: Morri de tédio (seria uma crise de abstinência?)

Projeto2

Dia 5: Comprei o melhor sorvete de todos os tempos. Bendita seja Crema & Ciocolatto
Dia 6: Fiz tapioca pro café da manhã
Dia 7: Cheguei morta da academia
Dia 8: Li duas páginas desse livro (até aqui eu lia e dormia)

Projeto3

Dia 9: Passei roupa ao ritmo do jogo da seleção brasileira
Dia 10: Fiz o arroz da puta
Dia 11: Protestei via Instagram
Dia 12: Editei o vídeo de aniversário da irmã

Projeto4

Dia 13: Jantei light depois da malhação
Dia 14: Vi a famosa névoa com cara de poeira (isso é a seca em Goiânia meu povo)
Dia 15: Fotografei o modelito início do inverno “no” Goiás especialmente pra vocês
Dia 16: Pulei fogueira de São João

Projeto5

Dia 17: Fiz um arroz com brócolis super nutritivo e delicioso
Dia 18: Fiz sanduíche de pão integral com queijo minas derretido para o desjejum (adoro essa palavra)
Dia 19: Burlei a regra de não postar nada no Facebook. Tudo pelo protesto
Dia 20: Acordei as 7 da madrugada pra fazer meu almoço… hehehe… tudo pela marmita nutritiva

Projeto6

Dia 21: Tomei drogas para uma terrível dor de cabeça (relevem meus dedos que aparecem mega esquisitos na foto)
Dia 22: Me joguei num hambúrguer.
Dia 23: Fiz torta de atum
Dia 24: Fiz o bolo integral de banana de novo. Dessa vez a versão foi apenas com nozes no recheio. Hummmm.

E só pra terminar: detestei esse negócio de fazer uma foto por dia. Admiro tanto quem faz isso e até queria começar uma ano que vem, mas esses 24 dias foram suficientes pra eu perceber que minha rotina é muito quadradinha e desinteressante pra ter o que mostrar. Quando eu aprender a fazer poesia de foto de tomada por exemplo, eu começo uma maratona dessas.

Até sexta com o post 13/24.

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Devaneios, Projeto 24 posts. Bookmark o link permanente.

8 respostas para O que vi da vida sem Facebook

  1. Ana disse:

    7 da madrugada foi ótimo!!!! Espera ter filhos! 7 já vai ser tarde! hahahhaa

    Eu também não dou pra participar de projeto 365. Já tentei uma vez, parei lá pelo 100 e poucos dias. Deu pau na câmera, perdi foto de 3 dias e desisti por completo. No ano seguinte tentei o 52 semanas. Adivinha? Abandonei também. Cansei.

    E eu PRECISO de um jejum de Facebook pra ontem. Sei bem o que você fala. O troço vicia mesmo. Não acrescenta nada. E come uma grande parte do meu tempo todos os dias. É o grande buraco negro mesmo. Vou ver se sigo seu exemplo e dou um tempo. Nos fins-de-semana quando eu fico offline quase sempre, é ótimo! A gente realmente aproveita mais nossa vida, né?

    Beijão!

    • Kkkkkk sabia que alguma mãe ia pirar com o negocio do horário!
      Tenho uma amiga fazendo o 365 e não furou nenhum, mas ela tem bossa pra foto sabe? Ficam super interessantes.
      Se fizer o jejum depois me conta.
      Beijuuu

  2. Vanessa disse:

    Hum gatona, confesso que estou nesta mesma vibe: “confusão metal, revolta, sintomas de saudade e nem um pingo de paciência” sendo que nenhum pingo de paciência, bem mais acentuado. Ainda não consegui dar um tempo definitivo do face, mas nesses dias de manifestações pouco entrei, pq estava realmente insuportável. Tentarei seguir essa estratégia, tenho certeza que a vida fluirá beeeem mais e melhor… bjos ;)

    • Meu acordei um belo dia e disse “chega de face”. Ao invés de prazer sentia raiva vendo tanta baboseira, então nem curiosidade bateu pra bisbilhotar. Super recomendado! Bjuuuu

  3. Deise disse:

    rsrsrs você é demais!!!!! Te amo.

  4. Fiquei curioso, Tudo isso resultou em excluir de vez a vida sem facebook? Ou foram apenas esses dias? Cheguei a seu blog, pois escrevi sobre a vida sem face e não tardei a vasculhar quem compartilhava do mesmo sentimento. = )
    Segue o texto meu sobre a “Vida sem facebook” rs , caso queria ver.
    http://pequenomatuto.blogspot.com.br/2013/07/vida-sem-facebook.html

  5. Luciana disse:

    Tati, eu nunca fui de ficar muito no Face, sabe? Hoje em dia fico, mas nas minhas páginas, mas as vezes passo dias sem olhar minha timeline. Me da uma preguiiiiiiiça aquilo lá! Hahahaha Mas nao acho ruim nao, pra mim é uma mão na roda pra manter contato com amigos íntimos, nem tao íntimos e aquelas pessoas interessantes que vc nao tem muita intimidade, mas gosta.

    Ja internet no geral e computador sao o que me consomem. Blogs, instagram, notícias, iBooks, skype, Photoshop, Candy Crush!!! Tudo o que eu faço e acompanho está no computador. Aí é que o bicho pega, especialmente pros filhos que estão ali vendo e absorvendo tudo. Por isso tenho andado mais com meu bloco de desenho debaixo do braço. Tem feito bem pra mim, apesar de eu continuar tendo que usar bastante o computador.

    Mas é a nova era, ne? :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s