E começam as despedidas…

25 de fevereiro de 2010, quinta-feira

Dia 28/30 (já posso começar a chorar?)

Ah amigos como despedidas são tristes… e essa quinta-feira está recheada delas. De despedidas, não de tristeza ok? A começar pelo restaurante grego. Como foi difícil dizer adeus aquele molho de iogurte, aquela carne de cordeiro e aquele arroz soltinho como o brasileiro… até do jeitão rústico dos gregos foi difícil se despedir.

Adeus restaurante grego!

Adeus restaurante grego!

Vale lembrar que a minha história com despedias é longa e envolve choro em rodoviárias e aeroportos, então vamos se dizer que até este momento de dizer adeus eu procuro vivenciar. E nestes últimos dois dias por downtown eu me senti assim, me despedindo de cada pedacinho da cidade. De cada esquina que por ali viu cruzar uma mulher, ora calçando seus inseparáveis Adidas azul, ora uma bota até os joelhos. Seu casaco roxo para os dias de calça jeans e um casaco preto quase não usado no Brasil, mas muito útil nas longas caminhadas a pé, de vento gelado batendo no corpo.

E falando em roupas, no post de ontem eu comentei que a foto combinando a blusa do Canadá entre alunas e professora, sairia no post da terça-feira né? Mas que nada, ela vai hoje mesmo. Acabei de lembrar que o último dia de aula oficial da Alicia foi nesta quinta-feira de 2010 – dia dos resultados e feedback de todos os professores.

– Momento de frio na barriga. O investimento teria ou não valido a pena?

Canada's Team! (foto do Amir)

Canada’s Team! (foto do Amir)

Feedback: Communication (Alicia). Durante o feedback da Alicia paguei um pequeno mico linguístico! Ao me chamar para passar os resultados (todos os professores conversaram com aluno por aluno numa área aberta, mas de forma privativa), ela gritou algo para uma outra professora e eu entendi algo assim, “it’s thirty”, eu disse brava, “no Alicia, twenty-eight”. Ela vira pra mim e repete, “thirteen Tati” e me faz um sinal de aliança no dedo. Ela estava falando do meu tempo de namoro (treze anos), e eu achando que ela estava tirando um sarro com a minha idade (achando que eu já tinha trinta)!

– Na verdade, parando pra pensar ela estava tirando sarro de qualquer maneira. Mulher danada essa Alicia!

Olha gente, nessa hora do resultado a gente esquece toda dificuldade, todos os dólares gastos, toda preocupação em falar bem inglês, toda frustração por ter dias que nada entra na nossa cabeça, toda saudade, todo frio seguido de calor, todo mico, e só pensa no quanto valeu a pena, principalmente quando vem seguido de palavras tão carinhosas da teacher mais marcante de toda sua vida: “I hope all is forgiven my name mishaps, Tatiane. Well done for this month! I know that you’ll go home with a beautiful amount of memories. Keep all the english fresh in your mind. Perhaps write in a journal in english.”

E pelo resultado da avaliação, se assim eu fosse dar continuidade aos estudos na ILSC eu estaria oficialmente aprovada para a próxima fase!!! E tendo evoluído em todas as categorias analisadas. Uhuuu! Palmas para a Tati.

Rodrigo (BR), Yuri (BR), Thali (BR), Bruna (BR), eu, Amir (Suíça), Fukumi (Japão), Boebe (Coreia), Azusa (Japão), Nina (Suíça) e Alicia (Canadá).

Communication’s team: Hee Jin (Coreia), Rodrigo (BR), Yuri (BR), Thali (BR), Bruna (BR), eu, Amir (Suíça), do meu lado Fukumi (Japão), Boebe (Coreia), Azusa (Japão), Nina (Suíça), Alicia (Canadá), Clemént (França) e Tanan (Tailândia).

Feedback: Grammar (Betty). Na parte da tarde vinha o temido feedback da aula de gramática com a correção da prova. E vocês não acreditam no feito dessa brasileira que vos fala. Apenas eu e o Grant, aluno coreano super crânio, lembram dele? Então apenas nós dois fomos aprovados nessa fase!!! Uhuuuuuuuuuu mais uma prova de que o dinheiro gasto foi bem investido. Não é me gabando não, mas estudei pra caramba.

Ao conversar pessoalmente com Betty, a professora casca grossa, ela me elogiou bastante e me perguntou quais matérias eu escolheria para o próximo nível… ficou bem chateada por eu já estar voltando pro Brasil. Disse que se eu ficasse mais iria evoluir muito no inglês, pois estava indo num bom caminho. Me desejou sucesso e disse que se um dia eu quisesse morar no Canadá eu tinha um ótimo perfil. E que os canadenses buscavam pessoas assim como eu.

Ah gente quase chorei. Fiquei com um nó na garganta sabe? Nessa hora me passou pela cabeça, mesmo que por alguns segundos, em ficar mais um pouco. Visto eu tinha, só precisava arrumar o dinheiro. Aí desisti. Decisão rápida.

Grant (Coreia), Gabriela (BR), Sebastian (Colômbia), Daniel (BR), You Young (Coreia), eu; Thais (blusa bege) (BR); Lionel (Bélgica), blusa cinza não anotei, Lynn (Coreia), jaqueta preta (não lembro).

Grammar’s team: Grant (Coreia), Gabriela (BR), Sebastian (Colômbia), Daniel (BR), You Young (Coreia), eu; Thais (blusa bege) (BR); Lionel (Bélgica), blusa cinza (não anotei), Lynn (Coreia), jaqueta preta (não anotei).

Betty, a Terrível.

Betty, a Terrível.

Feedback: Public Speaking (Karine). Depois da emoção e da alegria de entrar para o raro livro de aprovados da professora Betty, eu segui para o último feedback do dia.

Karine saiu distribuindo nota “A” na minha avaliação. Ganhei até dois “A+”. E em seu feedback escreveu: “Hello Tatiane (Tati)! Your presentations have been always interesting and informative – keep it up! You have very good communication and presentation skills, so please keep improving them (practice makes perfect). Good luck with everything!”

Super alto astral a Karine e excelente professora. Olha a animação dela tirando foto fazendo a famosa pose dos asiáticos e seus dedinhos de paz e amor!

Dasuki (Japão), Jay (chinês), Marco (Suíça), Miwa (Japão), Soy (Coreia), eu, Mei (Taiwan), Amy (Coreia), Daniel (BR) e Karine (Canadá). Uma pena o Abdul e o Tuhami da Arábia Saudita não terem ido.

Public Speaking’s Team: Daisuki (Japão), Jay (China/Coreia), Marco (Suíça), Miwa (Japão), Soy (Coreia), eu, Mei (Taiwan), Amy (Coreia), Daniel (BR) e Karine (Canadá). Uma pena o Abdul e o Tuhami da Arábia Saudita não terem ido.

Os colegas das duas aulas da parte da tarde eu não veria mais, então aproveitamos para tirar fotos, trocar emails, Facebook e as últimas palavras. Acabamos trocando tanta coisa nessas horas que passamos juntos por dia, que ficamos de certa maneira íntimos de todos. E cada um tinha um rumo certo a seguir. Alguns já estavam no fim de uma longa jornada, outros haviam acabado de chegar, outros ainda estavam ali para ficar (com família, mulher grávida e tudo mais) e eu que havia acabado de chegar também estava de partida.

Nesse dia aconteceu uma coisa engraçada: ao me despedir do Jay (chinês que morava na Coreia) já do lado de fora da ILSC eu o abracei e dei um beijo no rosto. kkkkkkkkkk. Vocês não têm noção da emoção da pessoa. Desconfio que nunca nenhuma mulher o tenha beijado no rosto. Ele disse que lembraria pra sempre daquele momento. kkkkkkkkk. Ele era um palhaço, mas ficou meio que tremendo incrédulo. Acho que se eu estivesse num evento oficial, as autoridades classificariam o meu ato como “quebra de protocolo”.

Se eu pudesse agradecer a cada uma das pessoas que passaram por mim neste mês em Vancouver, eu diria que era grata pelo quanto aprendi com suas culturas. Talvez mais do que inglês. E o quanto esse “conhecer” me fez ter mais e mais vontade de “aprofundar” mundo afora. Compartilharia com eles o quanto essa frase do Albert Einstein faz sentido quando vivenciamos algo espetacular: “A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.”

Para encerrar esse dia cheio de emoções eu tinha mais uma despedida. Dizer tchau pra cidade olímpica visitando o pavilhão do LiveCity Yaletown – lugar com grandes telões que transmitiam as competições. Havia também um palco com shows ao vivo todos os dias e “casas” das grandes marcas patrocinadoras das olimpíadas, com atividades interativas pro pessoal visitar. Pra chegar lá, eu e Talita, amiga arretada de Recife, fomos caminhando, como tantas e tantas vezes fiz por Vancouver.

Neste dia eu acompanhei ao vivo pelo telão a vitória das meninas do Canadá no hockey no gelo. Emocionante, dá uma olhada no vídeo que fiz nos momentos finais:

É galera, foi um dia para não esquecer. E o mais bacana, vendo agora algumas fotos, foi descobrir novos lugares em Vancouver simplesmente pelo fato de ter feito um caminho diferente pra chegar no mesmo lugar. Soa até meio poético né?

Fiquem com as últimas fotos de Vancouver linda e com céu aberto.

DSC01472 DSC01478 Vancouver_Day28 Vancouver2_Day28 Vancouver3_Day28

Continua…

PS: se não entender muito bem esse post, comece lendo pelo dia 29/01 ”Realizando um Sonho” e vem comigo pelos próximos dias.
Anúncios
Esse post foi publicado em Vancouver. Bookmark o link permanente.

2 respostas para E começam as despedidas…

  1. Luciana disse:

    Gracinha, vc Tati. Adorei o post e me senti orgulhosa de vc pelo desempenho e esforço! Adorei a blusa vermelha, combinou contigo.

    Beijos!

    Ps: ri alto da quebra de protocolo! :)

    • Dizem que vermelho é a cor de escorpiano, e eu não fujo a regra, adoro! rsrs
      Ah menina eu tenho esse lado de esforçada e nerd bem forte viu. É uma qualidade, mas também um defeito. :)
      O lance do chinês foi exatamente assim. Nunca vi alguém desconcertado, mas ao mesmo tempo feliz como o Jay! hahaha
      Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s