Domingo no parque

21 de fevereiro de 2010, domingo

Dia 24/30

Vancouver_varias

Como vocês podem imaginar pelo título, a pessoa que vos fala foi explorar mais parques pela cidade de Vancouver (se um dia vocês tiverem a oportunidade de visitar a cidade, entenderão o motivo), lá é repleto de parques, acredito que todos gratuitos. Fico imaginando aquelas árvores no verão. Deve ter um visual de tirar o fôlego.

Falando em árvores eu achava especial a visão delas desfolhadas por causa do inverno. Não que eu não curta plantas e coisas vivas, mas vocês hão de convir comigo que imagens de árvores assim, ao vivo e a cores, somente em lugares de inverno rigoroso mesmo. Então era algo especial que eu sabia que só veria por ali, naquele instante. Fiquei curiosíssima pra ver a cidade com as árvores cheias de maple leafs (quando cheguei, até mesmo as secas caídas do chão já não eram muito abundantes).

Vancouver_varias3

– Não tenho nenhuma foto com aquela folha seca ou vermelha na cara. Já devem ter visto milhares de fotos de turistas assim né? :)

Agora sobre esse domingo eu não vou falar do meu último bacon-ovos-panqueca-maple_syrup da saga ok? Estou ficando chata com essa repetição sem fim. Mas é que seria o último né gente? Sábado que vem eu já estaria de malas prontas pro retorno… guenta coração!

Então, comecei meu domingo tirando uma foto da minha little hostsister Samy. Ela tem carinha de Pocahontas. E apesar de não falar comigo ainda (vocês acreditam nisso?), eu fazia umas gracinhas pra ela de vez em quando.

Certo dia Samy acordou doente, com os famosos sintomas da flu, que é uma mistura de gripe com o que chamamos de virose aqui no Brasil. Nossa! Fiquei morrendo de dó dela. Sempre tão esperta, neste dia estava bem abatida. No final do dia eu quis fazer um agrado e levei um brinquedinho da Dollarama pra ela (pois é, intercambista pobre compra coisas na loja de um dólar). Ela adorou, simulou um sorriso e a partir dali passou a falar comigo… mentiraaaa!!! O fato de ter adorado e ter sorrido é verdade. Ela se soltou bastante comigo depois de um tempo, eu percebia que ela fazia umas gracinhas pra chamar minha atenção, mas quando eu falava com ela, não respondia de jeito nenhum. Eu tentei puxar assunto falando da Dora the Explorer (ela amava), quando o Canadá ganhava algo nas Olimpíadas, do Bob Esponja (que passava no Brasil). E a ajudava enquanto cantava e arrumava o alfabeto de gelatina com ímã na geladeira. E ficava nessa.

Agora era hora de sair. E lembro especialmente deste domingo, porque aconteceu um negócio meio chato. Eu devo ter acordado super atrasada, apesar de ter marcado um horário com a Bruna na Joyce Station. Chegando lá ela não estava mais. Eu esperei bastante, mas nada. Fiquei preocupada dela ter ficado chateada com minha demora e ter desistido de passear. Segui meus instintos e o cronograma e fui. O destino de hoje era o Queen Elizabeth Park.

E aí vocês pensam, nossa a Tati se gabou tanto de saber ler mapas, do excelente senso de localização, e blá, blá, blá… e agora estava olhando aqui no Google Maps que esse parque ficava muito perto de onde eu morava, bastaria pegar um ônibus que pegasse toda a avenida 41 (eu morava do lado leste e o parque ficava do lado oeste nas imediações da avenida 41). Ou seja, com certeza peguei um ônibus que passou em frente de casa. Não lembro de ter percebido isso! rs. Zero pra ela!

Com certeza eu desci na esquina da Cambie St. porque lembro bem de ter dado uma boa caminhada até chegar no parque. Que rua maravilhosa com umas casas lindas!!! Uau. Estava muito silêncio naquele domingo. Quase não haviam pessoas nas ruas. E quando cheguei ao Queen Elizabeth eu nem percebi. Ele se confunde bem com a beleza das imediações.

Vancouver_1011_1049

Se vocês pegarem um mapa de Vancouver, pode ser pelo Google Maps mesmo, verão a quantidade de quadradinhos verdes que representam parques pela cidade. Acredito que em cada bairro existam diversos. São aqueles parques que as famílias podem fazer um piquenique, levar os bebês pra passear de carrinho, correr, namorar, enfim, apenas sentar na grama pra ler um bom livro – se não estiver muito frio, claro.

Dei umas voltinhas no parque e quando me dei conta a Bruna estava por ali também. Ufa! Que alívio. O dia de ontem havia sido de solidão, mas neste eu queria companhia. Fiz fotos bem bonitas por lá e gosto especialmente de uma numa área bem alta com vista para downtown. Como era inverno não tinham flores, tinham pouquíssimas pra ser mais exata, mas vários espaços onde em mais alguns meses elas apareceriam floridas. Fiquei tentando imaginar a beleza do lugar cheio delas com suas cores.

Mesmo assim deu pra registrar umas belezinhas.

Mesmo assim deu pra registrar umas belezinhas.

Vancouver_varias4

Downtown beeeemmm lá no fundo.

Downtown beeeemmm lá no fundo.

E vejam só! Pela primeira vez na saga eu consegui sair sem um super casaco pesado. Aliás, vocês acreditam que algumas pessoas no Brasil desdenharam do fato de eu ter pegado, “somente” uns 2 graus em Vancouver? E no máximo zero grau em Whistler? Imagina se eu dissesse que chegou a fazer 10, 12 graus em dias ensolarados? Mas que inverno rigoroso é esse Tati? Pois bem, minha vontade era de dizer pra elas, então vai lá pra sua Bariloche curtir -5 graus, comprar suas roupas, uma pra cada dia pra ficar bem nas fotos, levar 7 casacos pesados pra parecer rica e muito chique. Porque o negócio aqui foi “apenas” subir a América, atravessá-la pro outro lado, enfrentar 6 horas de fuso-horário e levar 2 casacos grossos, pero no mucho, os quais aparecem em quase todas as fotos que tirei. Ah e te convido a enfrentar o famoso vento gelado de Vancouver, pra você ver o que é bom pra tosse! :)

– Já diria minha tataravó: “quem desdenha quer comprar”.

Então gente, não reparem nas minhas roupas nas fotos tá? Elas foram minhas melhores companheiras, depois do lindo tênis Adidas azul que eu odiava usar no Brasil por deixar meu pé pegando fogo e de repente se tornar meu parceiraço no Canadá!

Vancouver_varias2

Enfim, depois de curtir um domingo no parque bateu a fome e nós descemos a Cambie pra voltar, e eu aproveitei pra comprar um vinho numa loja super bacana que tinha por lá, bem próxima ao shopping Oakridge. Encomenda de uma super amiga que queria um vinho da região de BC, não lembro o nome, mas tinha algo a ver com uvas congeladas. A garrafa era linda.

Almoçamos no shopping e lembro de uma ligação que enfim consegui fazer para o Le, batemos papo um tempão enquanto a Bruna passeava pelas lojas. Nossa, Vancouver estava boa demais, mas a saudade já começava a apertar.

Aí que as duas doidas não satisfeitas em explorar o oeste, resolveram dar uma volta de Seabus. Sim, resolvemos ir parar lá em North Vancouver de novo. Não lembro como foi a decisão e se foi por conta da decepção com o Capilano, mas o destino era o Lynn Canyon Park, onde também tem uma ponte suspensa, mas com a vantagem da entrada ser gratuita.

– E há um boato de que a saga do Crepúsculo tenha cenas gravadas lá na floresta. Será?

Crepúsculo? Será?!?!

Crepúsculo? Será?!?!

Ah aproveitando, não sei se todos sabem ou já repararam, mas Vancouver também é conhecida como Hollywood North, por gravar diversos filmes e seriados em suas paisagens lindas, e também pelas ruas que se passam facilmente por outras cidades do mundo. Existem filmes e seriados que são gravados totalmente por lá, em seus estúdios. Desde que voltei fico tentando descobrir se reconheço alguma paisagem em determinados filmes e séries. Depois vou e confiro na internet.

Nossa, eu lembro que pra chegar em Lynn Valley foi uma verdadeira saga. Demoramos pra caramba, a estação do Seabus estava lotada. A cidade mudou consideravelmente com os jogos. E a gente perdida ao chegar em North Van estava hilário, porque não sabíamos pra onde estávamos indo. Pra falar a verdade eu só descobri o nome do lugar bem depois. Como chegamos lá Bruna?

A verdade é que já estava meio tarde e exploramos super pouco. Fiquei até com vontade de ir novamente. O lugar parece bem grande e vimos diversas placas identificando atividades, trilhas e tudo mais, mas acho que ficamos por lá cerca de uma hora apenas. A minha primeira foto foi às 5 da tarde, ou seja, prestes a escurecer, e a última às 6 e pouco, já totalmente escuro.

Vancouver_Lynn Vancouver_arvores

Amanhã estou planejando apresentar minha família filipina pra vocês. Continuem aqui me acompanhando, combinado?

Continua…

PS: se não entender muito bem esse post, comece lendo pelo dia 29/01 ”Realizando um Sonho” e vem comigo pelos próximos dias.
Anúncios
Esse post foi publicado em Vancouver e marcado , . Guardar link permanente.

7 respostas para Domingo no parque

  1. Bruna disse:

    Ai Tati, eu amo aquela foto que você esta sentada numa pedra, quase no chão, e no meio do matinho verde, em volta de você, nascem várias florzinhas coloridas. É tão linda!
    Esse dia foi engraçado, porque eu também cheguei atrasada lá, mas não fazia ideia de que você estava mais atrasada anda do que eu! rsrs..E você me disse que viu minha bolsa roxa entrando no skytrain quando você chegou a minha procura por lá, lembra?
    Diferentemente de você, eu não fazia ideia de como se chegava lá, mas já que não tem Tati, vamos sem Tati. Porque quem tem boca vai a qualquer lugar, e bem pedi infrmações pra um guardinha simpático que foi muito eficiente.
    Eu lembro de nós duas comentando algo sobre a comida do lugar que comemos no shopping, mas não lembro se era porque a comida estava muito boa, muito ruim. Só sei que eu estava morta de fome!
    Também não sei como chegamos na tal floresta do crepúsculo, mas lembro que a gente estava super perdida. rsrs

    Aguardo fotinhas da família! beijocas!

  2. Luciana disse:

    Eu amo o Queen Elizabeth Park, especialmente no outono! Ai, Tati, a verdade é que Vancouver é uma diferente cidade a cada estação! To achando que vc vai ter que planejar mais umas 3 viagens pra ca, viu? E se nao se importar com a lonjura, tem lugar pra vc aqui em casa. Pode vir! :)

    E o vinho, deve ter sido o icewine, pra beber como licor. Amo, amo! É docinho e bem tipo daqui mesmo!

    Beijos!

    • Nossa Lu eu já desconfiava que Vancouver tinha essa característica, pq sempre que penso em voltar eu me pego pensando nas grandes vantagens de todas as estações. Aí fico perdida.
      Ah e obrigada por oferecer sua casa (fico até com vergonha), mas independente disso, qnd eu for aí faço questão de te conhecer.
      Sobre o vinho eu acho que era isso mesmo.
      Bjo grande!!!

  3. Luciana disse:

    Seria um prazer te conhecer tambem! E nao dica com vergonha nao, adoramos receber pessoas! :)

    • Bom saber Lu! Vou adorar conhecer Squamish.
      Então pra retribuir, se quiser conhecer um lugar bem oposto de Vancouver no quesito calor, venha pra Goiânia e fique aqui conosco! :)
      Bjinhos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s