Explorando Van

8 de fevereiro de 2010, segunda-feira

Dia 11/30

Alicia nos pegou de surpresa neste dia. A aula de comunicação seria na rua. Ela, empolgadíssima, falou de um lugar super legal, a cara de Vancouver, que no verão tinha uma piscina pública, que tinha ótimos restaurantes, um lugar super charmoso, com prédios diferentes, uma ponte, e mais um monte de coisa que o inglês limitado não me permitiu entender. O fato é que estava animada! E pela empolgação dava pra ver que realmente era um lugar especial. Fiquei toda empolgada. Ainda na ILSC ela nos dividiu, acho que umas 3 ou 4 pessoas por grupo, e explicou o que faríamos neste lugar: tirar fotos de temas pré-determinados. O grupo com as melhores fotos ganharia um prêmio. Não faço ideia do grupo que ganhou, tampouco do prêmio, mas a probabilidade de ser uma caixa de Timbits do Tim Hortons posso garantir que era grande.

Sim, Vancouver tem uma loja que vende apenas guarda-chuva.

Sim, Vancouver tem uma loja que vende apenas guarda-chuva.

Lembro vagamente de algumas coisas a fotografar: algo que representasse Vancouver, uma coisa de comer que nunca tínhamos visto, alguém vestindo algo com o símbolo dos Jogos Olímpicos, uma bandeira canadense, e… não lembro mais. Três anos já né gente? A minha foto escolhida para algo que representasse Vancouver foi essa da loja The Umbrella Shop, mais óbvia impossível.

Ah e posso confessar algo interessante? No primeiro dia de aula já foi dito logo de cara pra todos comprarmos um guarda-chuva. Lembro de ter ido na London Drugs dar uma olhada nos preços e ficava com “preguiça” de comprar. E assim seguiram-se vários e vários dias, eu passava no caixa, olhava o guarda-chuva e pensava, poxa vida 10 dólares! Ah, mas nem tá chovendo hoje. Ou, ah mas tá chovendo tão fraquinho hoje. E assim foi, até que não comprei, não me molhei (muito) e não me limitei por causa da chuva, que na verdade para mim eram uns chuviscos apenas. Gente, eu não curto guarda-chuva. Sério! Mas pensando agora seria legal ter um guarda-chuva dos Jogos Olímpicos como lembrança.

Com sol essa vista fica demais.

Com sol essa vista fica demais.

O legal de fazer as atividades fora é que praticamente todo aluno tinha um passe mensal de ônibus, o meu era tipo o master, que me permitia pegar ônibus e skytrain de qualquer uma das 3 regiões que a cidade era dividida num determinado período de tempo. E aos finais de semana era livre o dia todo. Acho que era isso. Sendo assim, não gastávamos nada a mais com essas atividades. O fato é que pegamos um ônibus rumo a Granville Island (bem pertinho de downtown, acho que uns 15/20 minutos de ônibus).

1Vancouver 416

Olha gente, não sei se foi o tempo cinza, se foi o frio, se foi a obrigação de passear pra fazer uma atividade escolar, mas a minha primeira impressão de Granville Island não foi boa não. Achei com uma cara tão industrial aqueles galpões todos… não cativou assim de cara, não entendi naquele momento a empolgação da Alicia. Mas calma, leitores de Vancouver e região, eu fui novamente lá com umas amigas uns dias depois e a impressão foi diferente, mas isso será assunto pra outro dia – pra ser mais exata dia 17/02.

Vancouver4_Day11

Mas olha que ironia, a impressão inicial não foi boa, mas tenho umas fotos lindas do Public Market e a foto dos morangos, capa do blog, eu tirei lá exatamente neste dia. Acho que foi um sinal, uma maneira de guardar aquele dia e fazer ele se repetir sempre que abro o blog.

Meus morangos em sua versão original. E as frutinhas apetitosas.

Meus morangos em sua versão original. E as frutinhas apetitosas.

Andamos em vários lugares com o objetivo de fotografar, mas o que cativou mesmo foi o mercado público. Frutas lindas e coloridas. Flores. Frutos do mar de dar água na boca. Umas azeitonas do tamanho de um mouse (exageraaada, mas eram grandes mesmo). Fora que foi um momento descontraído pra conhecer melhor a galera da sala e praticar o inglês. O objetivo era praticar o inglês com as pessoas de fora também. A Alicia fazia isso com bastante frequência durante as aulas dela.

Enoooorme

Lugar enoooorme.

Outro dia eu conto o melhor sanduíche que comi na vida. E era de salmão.

Outro dia eu conto o melhor sanduíche que comi na vida. E era de salmão.

Vendo agora as fotos todas juntas é até estranho dizer que a primeira impressão não foi boa né? Que lugar mais charmoso! Sinal de que preciso voltar lá e explorar mais.

*******************************************************************************

Neste mesmo dia, depois da última aula, eu dei uma chegadinha em Gastown, um famoso e antigo bairro de Vancouver, uma área bem charmosa com cara de super antiga.

Gastown Area

Gastown Area

Quando fomos apresentados à cidade (também no primeiro dia de aula), a coordenadora dos brasileiros disse que Vancouver é considerada uma “baby-city” no sentido da modernização e dos grandes edifícios de downtown, então pelos lados de Gastown fica claro que aquela área faz parte de outra época da cidade.

Em Gastown tem o famoso relógio a vapor. Todo mundo quer tirar foto no coitado que apita uma musiquinha e solta fumaça. Podia virar personagem de um filme infantil né? Muito gracioso esse relógio.

1Vancouver 450

Além dessa ocasião eu passava com uma certa frequência por ali simplesmente pra bater perna, pegar o Skytrain numa estação diferente e explorar um pouco mais. Perto dali lembro de uma praça cheia de gente esquisita (enfim, achei os esquisitos de Vancouver), que fala coisas não identificáveis pra você, com um jeito meio doidão e sujo, nem todos eram homeless (mendigos), mas acho que curtiam ficar de bobeira na rua, sei lá. Senão me engano era chegando na estação Chinatown esse lugar, tipo um submundo sabe? A cidade é segura, mas nessa área eu tive um pouquinho de medo.

Continua…

PS: se não entender muito bem esse post, comece lendo pelo dia 29/01 “Realizando um Sonho” e vem comigo pelos próximos dias.

Anúncios
Esse post foi publicado em Vancouver e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Explorando Van

  1. Luciana disse:

    Tati, vc devia estar na Hastings. Lá é feio mesmo!!! Muita gente drogada nas ruas, por isso essa sensação ruim. Eu odeio passar lá! Já a granville Island, eu adoro! Sei que vc vai falar mais, mas adoro os restaurantes, as galerias de arte, o kids market e o parque de água que só funciona no verão. Alias, o verão é a melhor época pra visitar a ilha.

    Tati, to amando seu relato, muito gostoso de ler. Vou sentir falta qdo acabar! :)

    Beijos!

    • Luuu eu dei uma olhada no Google Maps e acho que é isso mesmo, na Hastings, muito deprê né?
      Ah eu lembro bem do Kids Market, uma graça!
      A Ana do Colorida Vida falou a mesma coisa, que pra aproveitar tudo que há de bom em Vancouver, melhor ir no verão.
      Muuuito obrigada por estar me acompanhando. É gostoso saber que tenho companhia. Também vou sentir falta! :)
      Bjuuuu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s