The End

Não, esse não é o fim do blog Deleite da Vida, ando meio sumida e tal, mas não estou nem perto de dar um fim ao blog ok? Mas sabe quando você sente que o fim de algo se aproxima?

Lendo isso que acabei de escrever me deu uma puta vontade de gargalhar. Sei lá, mas soou meio profético né? Será influência do calendário maia? Será simplesmente o fim do ano? Ou será a temida era de Saturno em Escorpião?

Brincadeiras à parte eu realmente acredito que vivemos ciclos. Que as coisas começam e também terminam. Se a gente parar pra pensar tudo tem um fim. E o fim não significa somente tristeza ou dor; eu também acredito que ele abre portas para o novo.

Sobre a morte:

Até a morte pode ser encarada como um novo começo, e olha que eu não acredito em reencarnação, mas por exemplo quando alguém morre, mesmo com o luto, a tristeza, a saudade (que nunca passa) as pessoas que ficam são convidadas a levar suas vidas adiante. Quando eu morrer será assim, quando você morrer será assim, e isso é o que torna a vida tão bonita, o fim não significa que as coisas acabam, mas dá uma chance para a renovação. Pra isso é preciso gostar de viver, ter uma boa dose se otimismo e acreditar que dias melhores virão. E pra mim isso se chama fé!

E falando em fé… hoje cedo eu vi uma entrevista da atriz Cissa Guimarães e apesar de não ter assistido o programa dela no GNT (Viver com Fé) eu acho que fizeram uma ótima escolha para falar do assunto. Ela passou por uma das piores tragédias e ainda assim está sempre com aquele brilho nos olhos de quem ama a vida, muitas rugas se formaram também, mas o que seria de nós sem as histórias pra contar através de nossos olhos? Ela falou algo que eu achei muito forte, “a dor é minha parceira, eu cuido dela, eu respeito ela” e acho que é bem por aí mesmo. Porque tem dor que NUNCA vai passar! Mas por outro lado não pode impedir a pessoa de viver. Portanto, se você estiver passando por um sofrimento não tente lutar contra ele, aprenda a conviver com ele, até passar por completo ou se encaixar em sua vida, e assim abrir portas para um novo começo.

Pensamentos sobre o fim:

Dia desses eu fiquei doente, peguei uma virose que me causou cólicas horrorosas. Aí eu pensei numa característica que tenho forte, eu sempre penso no pior, mas não talvez da maneira que você esteja me julgando agora. A minha maneira de pensar no pior é meio uma consciência muito forte que eu tenho da morte – dizem que é a principal característica dos escorpianos. Então esse pensar no pior me leva a ficar atenta a outros sinais que possam aparecer, como identificar uma apendicite por exemplo. Pode rir da minha cara, me chamar de neurótica, hipocondríaca, mas é assim que raciocino quando a porca torce o rabo, e quer saber mais? Pensar assim não necessariamente me faz sofrer, não me deixa preocupada, ao contrário me deixa atenta, e quando percebo que tudo não passava de 3 dias de dor de barriga apenas, fico tranquila e grata por não ter sido nada grave.

“Coitadinhos dos filhos dela”, você deve estar pensando agora né?

Conhecendo o lado doido da Tati:

Eu tenho uma mentalidade super fértil, adoro imaginar situações, isso me diverte. E ainda falando do episódio virose, só pra você entender, existem pessoas que sua imaginação fértil retrata filmes como os da Pixar, Disney, etc, os meus estão mais para os filmes do Tim Burton, meio malucos, sem pé nem cabeça, fúnebres, mas pra quem gosta, extremamente criativos e divertidos, totalmente fora do quadrado. Ou seja, esse medo da virose não ser apenas virose, me levou a pensar que poderia ser uma apendicite, a apendicite não foi identificada logo de cara, supurou, eu fui levada ao hospital em Brasília, pq mesmo doente eu resolvi passear por lá, fiquei em coma, porque a cirurgia foi feita tarde demais, minha família ficou ao meu lado o tempo todo e quando acordei e me dei conta que sobrevivi eu comecei a questionar tudo o que estava errado na minha vida e o que queria mudar pra ser mais feliz e satisfeita.

Antes que você pense que passei por tudo isso eu repito: é só imaginação ok?

Louco né? Mas o que mais me pegou nesse devaneio hipocondríaco foi pensar que não preciso esperar acontecer tamanha tragédia pra mudar o que não está legal na minha vida, certo? Nessas horas eu admiro muito as pessoas que não se preocupam com o dia de amanhã, que vivem a vida cada dia, e que quando não estão satisfeitas com algo simplesmente dizem não e partem pra outra. Eu não sou assim, eu preciso de um sofrimento básico pra mudar, preciso chorar, preciso fazer um drama danado, enfim eu preciso pensar antes. Sou assim, meio racional, meio passional. E totalmente doida.

E a receita de hoje?

Hoje não tem receita, porque eu precisava de qualquer maneira escrever algo, e não queria me prender por estar sem nenhuma receita em mente, mas pra te refrescar de um assunto meio doido, uma foto do delicioso papaia com cassis que o Le fez dia desses lá em casa:

Acho que a receita nem é necessária gente. É bem fácil de fazer, basta você bater no liquidificador o mamão papaia com sorvete de creme (por exemplo, 1 mamão papaia + duas bolas de sorvete) e servir com o licor de cassis.

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Devaneios, Falando de mim, Receitas de Sobremesa. Bookmark o link permanente.

8 respostas para The End

  1. Vanessinha disse:

    kkkkkkkkkkk… totalmente doida!! Adoreiii

  2. Paula disse:

    Escreva mais, adoro ler o que você escreve! Doida? Acho que sim, acho que não. Mas corajosa, pois nem todo mundo tem coragem, de falar das loucuras, que passam por suas cabeças em alguns momentos ou em vários momentos. E aqui eu deixo o meu relato de que um dia conheci uma meninha branquinha, de franginha que falava muito de doença, e como essas doenças iam evoluindo e que ela já tinha tido algumas delas. De cara (como sempre faço) não gostei dessa menininha, reclamava com outra amiga em comum, que ela era estranha. Mais essa meninha foi persistente, com o tempo sem perceber comecei a gostar muito dela, e hoje ela se tornou uma grande amiga. E ai Tati , lembra dessa menininha?. Bjs e sds sempre.

    • Ah Paula vc conheceu a versão dessa menininha chatinha, esquisitinha… rsrsrs… Graças a Deus ambas fomos persistentes, pq amizade assim é rara.
      Fico feliz que goste dos textos, tenho andado meio borocochô e sem vontade de escrever, mas logo passa e eu conto minhas loucuras, que são muitas! kkkkkkkk

      Saudades demais da conta. Sinto muuuita falta de nossas conversas. Bjuuu

  3. Erika Toledo disse:

    escorpianas são assim! Adorei o post !!! Mandou bem ! Estou passando por uma situação assim ! E doideira nao e? E escorpiana mesmo rsrsrs

  4. Pingback: Relógio Biológico | Deleite da Vida

  5. Pingback: O centenário do blog | Deleite da Vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s