Nostalgia capilar

E pra comemorar o 50º post, hoje tem manjar branco!

Ainda não curtiu a página do Deleite da Vida no Facebook?!?! Só clicar aqui e curtir.

Estava escovando os dentes e reparando nos meus cabelos. Puxa, como eles mudaram com o passar dos anos! Apesar de não ser nenhum camaleão em termos de cabelos já mudei os danadinhos algumas vezes. Já tive luzes, já cortei curtinho (partindo da cintura), já foram médios, grandes, chocolate, loiro escuro, vermelhinho, cheio pra caramba, mirradinho, indefinido e naturais. Quem nunca?

E agora que já terminei de escovar os dentes estou caçando os pontinhos brancos. Mudança que até demorou pra chegar, tendo em vista meu pai que começou com os seus antes dos 20 anos. Porém eles chegaram para mim também, e cada dia que passa encontro um novo ponto de ataque da idade. Poxa vida, mas só tenho 30 anos!

Continuando a me olhar no espelho lembrei da recomendação da minha mãe. Quando eu tinha uns 14 anos era doida pra pintar os cabelos e ela sempre dizia pra eu esperar um pouco mais, e assim foi me enrolando. Ela me dava as mais variadas desculpas, desde que a tintura estragaria meus cabelos até que quando eu realmente tivesse necessidade em pintar, estaria enjoada e aí não teria escolha. Sapiência de mãe né?

De volta ao meu teclado eu vejo que ela esqueceu de citar que a cor do cabelo de uma pessoa é única, assim como o tipo também. Dificilmente você achará alguém com um cabelo igual ao seu. Cabelo natural, claro. E aí fico pensando em quantas vezes eu tentei pintar da cor “natural” pra consertar alguma outra cor que eu estava enjoada, e a única coisa que surgia era uma cor indefinida, que não me representava.

Eu diria que meu cabelo é um castanho claro acinzentado com alguns fios loiro escuro quase avermelhados. Agora me fala, já criaram essa cor? Imagina se esse nome todo ia vender sequer uma caixa de tinta! O fato é que com o passar dos anos, a melhor maneira de me sentir única é sendo natural. Me incomoda o fato como as mulheres hoje em dia parecem querer o efeito copy&paste e com isso perdem sua naturalidade para ficaram iguais à mocinha ou vilã da novela.

Não levem como crítica a quem pinta os cabelos ok? Eu adoro essas mudanças e ao mesmo tempo fico admirada com o fato de estar curtindo essa fase natural, mas sei que em breve estarei eu com alguma revista de moda na mão pedindo pra cabeleireira reproduzir a cor, o corte ou os dois.

O fato é que já faz alguns anos que não tinjo mais, o máximo que fiz foram algumas mechas, um pouco mais claras que minha cor natural e apenas nas pontas, ou com uma boa sobra da raiz, só pra dar um efeito de sol, quebrar um pouco a uniformidade, ou seja, meu cabelo hoje em dia é quase virgem de novo, mas como mudou o danadinho. Fino ele sempre foi, mas está mais ralo, parecido com o da minha mãe e esses fios loiros nascendo são novidades pra mim, porém eu acho que é um passo para a próxima cor, o branco! Um macete capilar. Piada do destino talvez? O fato é que estou adorando meus cabelos ao natural e é aí que bate a nostalgia capilar, pois em breve aquele aviso da minha mãe fará todo sentido, terei que pintar. E aí com um cabelo único desse, qual cor escolher? Enquanto não decido vou curtindo meu cabelo natural e vendo nascer cada dia mais uns fiozinhos cor de neve.

E falando em neve, que tal uma sobremesa bem branquinha e gelada? Essa eu nunca fiz, mas minha mãe sempre faz em todos os eventos importantes. E a família&amigos agradecem. Então excepcionalmente hoje, receita da D. Iris:

Receita de família!

Manjar Branco

Ingredientes do manjar: 1 litro de leite – 5 colheres de sopa de maisena (não muito cheias) – 2 colheres de sopa de açúcar (se necessário) – 1 lata de leite condensado – 1 vidro de leite de côco.

Ingredientes da calda: 1/2 garrafa de vinho rose – 300 grs de ameixa seca sem caroço – 2 copos de água – 2 xícaras de açúcar – 2 canelas em pau.

Modo de fazer o manjar: coloque todos os ingredientes numa panela e mexa para dissolver a maisena. Ligue o fogo em temperatura branda (média para baixa) e mexa sempre pra não grudar nem derramar. O ponto para desligar é quando ele engrossar bem e estiver começando a grudar no fundo da panela. Unte uma forma com furo no meio com um pouco de óleo, passe um pouco de água e escorra. Despeje o creme e espere esfriar para levar à geladeira. O ideal é fazer de um dia para o outro, mas em 2 hrs mais ou menos já estará gelado. Para desenformar passe uma faquinha nas laterais, coloque um prato grande e vire a forma.

Modo de fazer a calda: coloque todos os ingredientes para ferver em fogo baixo, não é necessário ficar mexendo. Quando atingir o ponto de calda é só desligar e descartar as canelas. As ameixas estarão bem macias. A calda tem que ser consumida fria ou gelada, então o ideal é já fazer na véspera também. Essa calda rende bastante, mas eu quis passar a receita total, porque é da maneira que minha mãe faz, então se você não tiver a intenção de usar essa calda com outras receitas, sugiro que faça só metade.

Dica: certa vez minha mãe esqueceu de colocar o açúcar no manjar. Posso te garantir que foi uma feliz surpresa, porque não fez a mínima falta, então se quiser um manjar menos doce ou reduzir umas calorias, pode fazer sem açúcar.

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Falando de mim, Falando do futuro, Receitas de Sobremesa e marcado , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Nostalgia capilar

  1. Eli disse:

    Tati adoro manjar e pra mim é uma sobremesa que lembra o Natal, não pode faltar na mesa! Minha mãe sempre fez e chegou um dia que passou a tarefa pra mim e eu consegui deixá-lo no ponto (sempre tive um problema com a maisena, ou colocava muito e endurecia demais as sobremesas ou colocava pouco e tudo despencava quanto tinha que desenformar), mas o manjar de primeira ficou perfeito. Normalmente faço a calda de açucar com ameixas, na proxima vez vou tentar com vinho. Receita já reservada pro Natal :) Bjs

    • Exato Eli. Não existe Natal em casa sem esse manjar. E vc tocou num ponto que é verdade, minha mãe comentou mesmo que a parte chata é da maisena, acho que aqui vale muito a mão da cozinheira né?

      Faça a calda de vinho, mas de preferência o rose, pq o tinto deixa o gosto forte demais. Vale a pena, fica muito saboroso. Depois me conta como foi. Bjuuu

  2. Eli disse:

    Uma observação, sábias palavras de sua mãe, chega um momento na vida que tingir o cabelo vira uma obrigação; no começo conseguimos manter a tintura perfeita por um mês, com o tempo isso para a ser quinzenal e se não fizer direitinho tem retoques até semanais. Dessa forma resista o máximo que puder e aguentar !!!

    • Ah menina bom saber que estou no caminho certo. Acho que vou abolir a tintura por uns 10 anos e começar a guardar dinheiro para essa fase de “retoques semanais”! kkkkkkk

  3. Carla Gigeck disse:

    Tatiiii, fazia tempo que nao passava por aqui, tantas mudanças ocorreram nos ultimos 4 meses que estive afastada ! Mas hoje li todos os posts atrasados :)
    Os meus cabelos tambem começam a ficar com nevinhas !!! hehe experiencia de vida :)
    Nao vou perder mais nenhum post !!
    Bjo bjo
    P.S: Minha mae tambem adora manjar e sempre faz no Natal, sinceramente nao é minha sobremesa favorita . Bjo

    • Deleite da Vida disse:

      Senti sua falta Carlinha. Espero que o sumiço tenha sido por bons motivos (mudanças boas)… :)
      Eu ando meio sumida também de escrever :( mas que bom que voltou. bjuuuuuuuuu

  4. Tati, ultimamente também tenho reparado mais em meus cabelos…
    Ao contrario de muita gente, nunca mexi em meus cabelos! Nem um pouquinho! Nem uma tintura, ou tonalizante, escova progressiva… somente no comprimento! Graças também a minha mãe que nunca permitiu! Ela sempre dizia, quando você casar pode fazer o que quiser!!! E não é que depois de casada não tive coragem de pintar??? Rs Como você mesmo disse “Sapiência de mãe..” E mesmo assim a textura dele já está diferente…aí percebo como o tempo está passando….
    Mas enfim, faz parte! Adorei o post e o manjar!!!
    Beijinhossss

    • Nossa Ale, sempre tive curiosidade se o seu cabelo era assim tão loiro naturalmente, pq são raros os cabelos tão loiros que não escurecem com o tempo né? Mas é isso aí, se não tem vontade de mexer, deixe como está, pq são lindos.
      Ontem fiz o manjar e ficou show de bola, dá pra seguir a receita sem medo. Bjuuu

      • Alexandra disse:

        Ai Tati, vi o seu comentário sobre o manjar!!! Irei fazer sim!!! Aí te falo como ficou!!!! (Ah e nos cabelos só vou mexer quando começar aparecer os brancos…rs) Bjinhosss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s