Dicas da Sonia: Não Comi, Não Rezei, mas me Amei

Se tem uma seção que eu fujo na livraria é aquela chamada autoajuda. É incrível confessar isso tendo em vista que os livros mais vendidos no Brasil, e acredito que no mundo, sejam dessa categoria. Eu já tentei alguns, mas todos me parecem uma receita de bolo: faça assim, coloque aquilo, nunca faça tal… e pimba, seja feliz pra sempre. Não gosto dessa abordagem. Com certeza é preconceito meu, porque existem bons livros nesta categoria, assim como esse que acabei de ler.

Pois é, eu li Não Comi, Não Rezei, mas me Amei da escritora brasileira Gisela Rao. O título não é mera coincidência e tampouco uma tiração de sarro com o livro Comer, Rezar, Amar, mas vai ter que ler pra saber o motivo do nome do livro:

A autora passou 365 dias vigiando sua autoestima e reuniu os principais acontecimentos numa espécie de diário. Assim, o livro é dividido em três partes, classificando a autoestima em palha, madeira e tijolo, numa relação direta ao conto de fadas dos Três Porquinhos. Além dos acontecimentos diários da autora o livro está intimamente ligado ao blog Vigilantes da Autoestima.

Adorei o livro e recomendo a todos, principalmente às mulheres – campeãs no quesito sabotagem-a-si-mesma. A autora é extremamente generosa com seus leitores, pois falar de intimidade não é fácil, mas que mesmo assim ela aborda de forma cômica, direta e muito franca, sem enrolação e drama. É tudo pa-pum.

Sabe aquela história de rir de si mesmo? Então, é bem por esse caminho que a autora constrói a base, as colunas e a laje de sua autoestima de tijolaço. O bacana do livro é acompanhar esse fortalecimento que ocorreu com a Gisela – “uma mulher que amava demais” como ela mesma se denomina. E pra você que está pensando que o ano dela foi de flores, posso te garantir que não, a mulher enfrentou poucas e boas em todos os sentidos: pessoal, financeiro, profissional, amoroso e etc (caso tenha esquecido de algo! rs).

Eu curto tirar uns ensinamentos dos livros que leio, alguns marcam mais, outros nem tanto, mas deste eu gostaria de transmitir pra vocês: PAREM COM LISTA DE INFELICIDADES! MANDEM AS RELAÇÕES TÓXICAS PARA O BELELÉU OK?

Digo isso assim, em caixa alta, porque é muito comum vermos pessoas que fazem lista de infelicidades o tempo todo, sinceramente eu acho que muitas delas nem percebem o que estão fazendo, mas fazem. Mulheres inteligentes e simpáticas com ótimos companheiros e empregos, mas que ficam o tempo todo só falando das coisas ruins, como o fato de só ter traíra no trabalho, de estarem acima do peso, do marido não prestar atenção nelas, de só serem felizes quando algo acontecer… Oi? Colocar uma data ou um motivo para serem felizes?!?!?!

Outras não conseguem se livrar de pessoas que não fazem bem a elas. E isso independe da pessoa ser legal, do bem ou não, mas às vezes não ser pra você. Mas como num vício e numa dependência de que a ideia de felicidade plena existe e que ela só será encontrada tendo alguém do lado, seja ele quem for.

Mesmo antes de ler o livro eu passei por uma situação de relação tóxica, uma pessoa que só abria a boca para criticar e distribuir farpas, falava pelas costas, e depois vinha e pedia desculpas por ser tão “incompreendida”. Só que eu ficava mal por semanas por conta das palavras lançadas. Comecei a ver que não estava sabendo separar as coisas e seguir o conselho de “entrar por um ouvido e sair pelo outro” que tantos falam. Não tenho sangue de barata. Relutei, mas quando decidi, simplesmente excluí a pessoa da minha vida. Quando resolvi fazer isso já estava lendo o livro e foi um estímulo para ver se daria certo. E deu!

E se você é uma mulher que ama demais, ou faz listas de infelicidades ou está numa relação tóxica, comece a ler o blog Vigilantes da Autoestima, mas não vá lá pra reclamar de como sua vida é uma droga, mas pra aprender com a experiência alheia.

E nem venham me dizer que é fácil falar ok? Todos temos problemas, T O D O S! Comece a se amar agora, e pare de esperar, seja lá o que for outro, a sua vida só depende de você, comece a escrever sua própria história, de repente até vigiando sua autoestima como fez a autora do livro.

Deleite-se com a leitura!

Anúncios
Esse post foi publicado em Dicas da Sonia. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Dicas da Sonia: Não Comi, Não Rezei, mas me Amei

  1. Vanessa disse:

    Simplesmente amei este post! Ah, e vou ler o livro. Pesquisando pra comprar agora mesmo. hehe… :) Bjão gata

  2. Pingback: O centenário do blog | Deleite da Vida

  3. Patrícia Helena disse:

    Hum… adorei! O blog eu já conheço! Valeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s