Dança da Solidão

Hoje tem sopa de ervilha.

Quem me dera ter criado o título de hoje, na verdade é o nome de uma música  do Paulinho da Viola (também cantada no CD Barulhinho Bom da Marisa Monte). Que aliás, eu adoro!

Bom, tenho passado por um momento de solidão no sentido literal, porque estou sozinha em minha cidade tão tão distante por cerca de duas semanas. Falo literal, porque embora esteja sozinha não me sinto só, mas confesso que é um exercício diário. Estou usando a estratégia de sempre ter algo para fazer, como ler, escrever, ficar no computador, assistir TV ou algum seriado das dezenas de episódios que eu baixei, também aproveito para cuidar da casa, fazer comida, ficar estirada no sofá ou na cama… nada muito diferente do que normalmente faço, mas ainda assim tenho que tomar o cuidado para não ficar ansiosa ou pensando em como o silêncio pode incomodar. Ah e como um simples abraço faz falta – estar longe da família tem dessas…

Aqui onde eu moro é um silêncio que beira o delicioso e até mesmo o assustador. No primeiro final de semana eu tive a prova de fogo para ver se suportaria a solidão e tamanho silêncio. Logo eu que falo pelos cotovelos, ficar dois dias inteiros sem alguém para conversar?!?!?! Mas acho que aguentei. Incrível como tudo na vida é uma questão de adaptação. Adaptar para não pirar, esse foi meu lema!

Há quem morra de medo da solidão. Eu mesma achava que não a suportaria, principalmente tendo em vista a pessoa falante que sou, mas ao se entregar até mesmo para a solidão é possível fazer descobertas e até aprender a tomar decisões levando em conta uma única opinião… a sua. Falo em decisões do dia-a-dia como o que planejar para o jantar, ou quando levar o lixo, ou organizar quantidades e coisas para comprar, ou até mesmo o que ver na TV. Parece bobagem, mas fique sozinhe e você fará o mesmo para se ocupar… rs

Por outro lado há quem adore estar sozinho. Tem doido pra tudo nessa vida não é mesmo? E já que estou tão musical, paro e penso que sou do grupo do Tom Jobim na música Wave que diz “É impossível ser feliz sozinho…”. É bom ter momentos de solidão, de introspecção e silêncio, mas na minha vida isso não pode ser constante. Eu preciso falar, preciso interagir com outro ser humano, preciso extravasar minha energia que não é pouca, e fazer isso com quem se ama é algo que não tem preço, porque neste caso a gente pode abraçar, beijar, sentir o cheiro e o calor do corpo.

E fuçando o fundo do baú eu lembro que quando mais nova eu nunca pensei em casar. Não sei explicar o motivo real, mas por ter uma personalidade introspectiva e um tanto quanto individualista eu acho que não queria ninguém mandando em mim ou alguém para ter que dar satisfação. E agora digo: não poderia estar mais enganada, é maravilhoso ter alguém sempre por perto para compartilhar tudo. E pra isso eu não precisei mudar quem sou e ver que um marido não é seu pai (o lance de mandar e dar satisfação), mas um parceiro. Hoje vejo que sensação maior de segurança é ter alguém que realmente se ama, e nunca se sentir só. Cada vez que desligo o celular em nosso bate-papo diário tenho mais certeza do que é isso.

Agora se quer minha opinião sobre uma receita boa pra momentos de solidão eu digo que é a sopa, pois ela te dá conforto, te aquece e te faz relaxar. Além disso, você pode comê-la deitadinha na cama enquanto assiste um bom filme. E vai por mim, pois quem vos fala é alguém que um dia foi como a Mafalda e odiava sopa!

Sopa de Ervilha

Ingredientes: 250 grs de ervilha seca – 1 cebola pequena picada – 2 dentes de alho picados – pimenta do reino – 2 colheres de sopa de azeite – 1 e 1/2 litro de água – 1o0 grs de linguiça calabresa cortada em rodelas – 100 grs de bacon sem pele picado – sal.

Modo de fazer: cozinhar as ervilhas com a água na panela comum por cerca de 40 minutos (fogo baixo e panela grande, porque costuma subir uma espuma se o fogo estiver alto). Quando estiver cozida bata com a água do cozimento no liquidifiador e reserve. Em outra panela, coloque o azeite e comece a fritar a calabresa e o bacon juntos, deixe dourar por uns dois minutos e acrescente a cebola e o alho, fritando por mais um minuto. Acrescente a ervilha batida, o sal e a pimenta do reino e deixe apurar no fogo baixo por uns 10 minutos.

Dica: não abuse do sal uma vez que a calabresa e o bacon costumam ser bem salgados; se quiser dar um toque de frescor coloque cebolinha picada (como está na foto).

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Falando de amor, Falando de mim, Receitas de Caldo e Sopa e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Dança da Solidão

  1. Carla Gigeck disse:

    Ahhh eu tambem nao queria casar de jeito nenhum e hoje sou completamente apaixonada por essa vida rsrrs tudo tem a momento perfeito pra acontecer ne ? Bju

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s