Metade de mim

Que sensação estranha essa de estar completando 15 anos de algo dentro dos 30. Sensação de vida dividida pela metade já.

Ao escrever o post sobre meus 30 anos me dei conta que além dos 15 anos do primeiro emprego serão também: meu primeiro (e único) namorado, agora marido; 15 anos da morte da mãe de uma e do pai de outra – duas grandes amigas, minhas irmãs do coração até hoje. Fatos que marcaram muito a minha vida.

Casal em uma de suas primeiras aventuras

Aposto que está martelando na sua cabeça “ela disse 15 anos de namoro?!?!?!”. Sim, exatamente, 15 anos que estamos juntos: 13,4 de namoro e 1,8 de “casados” (logo tiraremos essas aspas). Metade da minha vida comigo.

No dia do meu aniversário eu vivi fortes emoções com uma carta/história sobre minha vida contada a partir da percepção do meu pai. Na carta, dentre tantas coisas, emoções e lembranças, meu pai dizia que quando comecei a namorar ele achava que seria um namoro bobo, coisa da adolescência, mas que quando batemos 5 anos ele começou a ficar preocupado, pensando que eu poderia estar perdendo muita coisa da vida em não ter outras experiências amorosas. Hoje ele percebe que se enganou (palavras da carta).

Não vou dizer que isso nunca passou pela minha cabeça, muitas vezes eu me questionei se não estaria perdendo algo importante da vida, e tenho certeza que o Le também, mas em todas as crises eu percebia que mudávamos, crescíamos e assim tínhamos a chance de um novo relacionamento a cada ciclo. E não pensem que eu não aproveitei nada da vida, eu vivi as experiências de maneira diferente, apenas isso. Eu realmente não tive a fase 20-e-poucos-anos-baladeira, mas sinceramente sempre fui muito tímida e nunca senti falta de balada, mas na faculdade eu não perdi uma oportunidade sequer de curtir com meus amigos, da minha maneira.

Acredito que o segredo do nosso relacionamento está justamente na individualidade. Eu nunca deixei de fazer algo que quisesse por causa do namoro e o Le idem. Com o tempo fomos curtindo a vida juntos, foram porres, descobertas, viagens malucas, amigos de todos os tipos, shows que amei, shows que odiei ou odiamos, enfim experiências pra contar aos nossos filhos. E quer saber? Pensando nas coisas que eu supostamente perdi, não sinto por nenhuma delas.

Quando eu era mais novinha não via as coisas tão fáceis assim. Eu emburrava quando o Le saía com os amigos e eu não saía com os meus para não dar motivos, dessas atitudes eu me arrependo, porque perdi algumas farras, mas nada que o terceiro ano de faculdade em diante não tenham mudado na minha percepção. Hoje encaro numa boa quando ele sai com os amigos, porque eu faço o mesmo quando quero curtir um bocadinho com minhas amigas. Claro que é tudo diferente, afinal um relacionamento a dois deve ser pautado pela confiança e também por limites, mas funciona bem. Eu sinceramente acredito que respeitar o espaço do outro é o que traz tanta afinidade e vontade em estar juntos. Vontade que não falta.

O Le é um parceiro e me conhece como ninguém. Na adolescência eu adorava ser invisível, mas agora é difícil esconder algo daqueles olhos verdes. E sabe do que gosto mais dessa vida a dois? Pra ele não tem tempo ruim, posso estar no dia da faxina, toda descabelada, suada, mau humorada e soltando fogo pelas ventas, mas o abraço de bom dia é sempre com um beijo, um cheiro e um olhar (além das palavras) de que me acha uma mulher muito desejada. E eu tento corresponder mostrando que ele é tudo pra mim também.

Se a maior parte dos dias for boa como um beijo no pescoço serei feliz por todos os dias desse relacionamento.

E já que estou falando de amor vamos fazer algo de chocolate? Esse doce é ótimo pra impressionar seu amor… o meu pelo menos adora!

Bolinhos de chocolate derretido (chef Chuck Hughes)

Pode chamar de petit gateau também.

Ingredientes:  ½ xícara de manteiga (e um pouco a parte para untar as formas) – 180 grs de chocolate amargo – 3 ovos em temperatura ambiente – 1/3 de xícara de açúcar (e um pouco a parte para as formas) – 2 colheres de sopa de farinha de trigo.

Modo de preparo: em uma panela (fogo baixo), derreta a manteiga e o chocolate juntos até a mistura ficar homogênea. Reserve. Bata os ovos com o açúcar em uma batedeira por cerca de 5 minutos (até ficarem consistentes e opacos). Adicione o chocolate derretido à mistura de ovos e mexa com uma colher até se juntarem. Finalize misturando a farinha até formar uma massa.

Montagem: unte quatro formas de louça (ramequim) ou até mesmo xícaras de chá de 120 ml, com manteiga. Polvilhe um pouco de açúcar e retire o excesso. Divida a massa entre as formas.

Forno: pré-aqueça o forno a 200°C. Asse o bolinho de chocolate derretido em uma assadeira por 8 a 10 minutos; o centro continuará macio, mas as laterais deverão estar firmes. Deixe descansar por 5 minutos e desenforme antes de servir com sorvete.

Dicas: ao invés de polvilhar açúcar você pode usar pistaches moídos ou outras nozes; você pode guardar a massa na geladeira por sete horas, até o momento da refeição, mas deixe em temperatura ambiente novamente antes de assar; no meu forno levou mais tempo, entre 15 a 20 minutos, mas fique olhando a partir de 8-10 minutos mesmo, quando perceber que o meio está mole, mas as laterais mais firmes é porque está bom; caso passe do tempo não se desespere, ao invés de petit gateau você comerá um delicioso brownie.

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Falando de amor, Receitas de Sobremesa e marcado , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Metade de mim

  1. karina disse:

    Parabéns palos 15 aninhos!!!! ;)
    .. hummmm, q delícia essa receita!! rs

  2. Ana Paula disse:

    Oi Tati, tudo bem? Antes de começar a falar um pouco de casal que amo,
    Vou falar da boa amiga que sou que esqueci seu aniversário, poderia dar mil desculpas, mas como intimidade é uma merda (como me diz uma grande amiga), vou ser incera e dizer que esqueci mesmo. Lembrei um dia antes assustada de que poderia ter esquecido e no dia esqueci, bem essa sou eu e você me conhece e sabe que desejo todos os dias pra você muitas felicidades, toda paz e todo amor do mundo. 30 anos… Sabe que pra mim ainda não caiu a ficha, devo ter amadurecido depois do Daniel, mas acho que não cheguei aos 30. Bem lendo tudo que você escreveu da sua história, só tenho uma coisa pra te falar, e acho que isso eu nunca falei: Sabia que vocês são o casal mais bonito que conheço, é assim que me refiro a vocês quando vou contar algo para alguem, ou apresenta´-los no meu album de casamento. Um casal classudo e porreta de bonito… De alma boa… Esses são vocês, uma que fala ele que ouve…. Aquele tipo de pessoa que tem amor nos olhos…. 15 anos de relacionamento pra muitos uma vida, pra outros momentos de soma, de divisão de compartilhar com uma pessoa, toda a intimidade, e aquele falar com os olhos, que nunca, nenhuma paixão relampago irá nos dar. Uma coisa que falo para o Anderson, (já se vão 12 anos juntos) que ele tem um cheirinho de casa, me sinto em casa, segura. Entende. Bjs e Feliz Aniversário atrasada….

  3. Sonia Fuentes disse:

    Delícia de texto………..

  4. Mônica disse:

    Nossa Tati, não sabia desse tempo entre vcs! Metade de uma vida mesmo… Que Deus continue abençoando e fortalecendo com muito amor, cumplicidade e respeito a relação de vocês!!!! Apesar do pouco tempo que nos conhecemos, e tão pouco nos vemos torço pela felicidade de vcs! Um grande Beijo.

  5. Carla Gigeck disse:

    Aiaiai..olha vc de novo !! Me lembro que vivi tudo como você, e quantas e quantas vezes na faculdade nos questionamos juntas..rsrsrs e quantas vezes abdicamos juntas ? rsrsrsrs Afinal eu namorava o mesmo tanto que vc ne? e eramos unicas nessa fase..rsrss
    Pois é…a vida passa, segue seu rumo e desejo a voce pelo menos mais 15 anos de felicidade !
    Hj eu sinto esse olhar, o cheiro de casa segura como disse o comentario acima com meus 2 anos e meio junto do Andre rsrsrs e espero chegar aos 15 com o mesmo brilho no olhar !
    Que a vida seja plena em todos os sentimentos, sempre !!! Bjuuuuu, saudades!

  6. Thais Fernandes disse:

    Tati,

    Que texto emocionante, estou adorando acompanhar o blog. Vou guardar uma frase, como se fosse um conselho que você me deu sobre relacionamentos “afinal um relacionamento a dois deve ser pautado pela confiança e também por limites, mas funciona bem”. Vou levar isso comigo, pq vira e mexe fico brava qd aparece algum encontro do meu namorado com os amigos e às vezes eu evito sair com as amigas justamente para não ter que concordar depois quando aparece algo para ele. Mas um amigo meu disse, que quando a gente namora, a gente tem que lembrar que existem 3 vidas, a minha, a do outro e a vida que estamos construindo juntos, temos que tentar mater o equilíbrio sempre, mas não podemos misturar tudo e nunca mais ter o nosso espaço, individualidade é fundamental.

    Adorei a receita, o casamento entre chocolate e sorvete é perfeito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s