Bloqueio criativo

Que atire a primeira pedra quem nunca teve um bloqueio criativo. Fico pensando no pobre coitado que depende de sua própria criatividade para viver, o que fazer nesse caso?

Infelizmente eu não sou do grupo do “tô nem aí” ou “falem mal, mas falem de mim”, portanto fico possessa quando alguém me envolve em picuinhas, principalmente quando são feitas pelas costas. Por outro lado eu sou 8 ou 80, sendo 8 na escala equivalente à “fico puta, mas não falo nada” e 80 para “fico puta e solto os cachorros em quem estiver na minha frente”. Ninguém nunca sabe, nem vai saber, a minha reação nessa escala, mas confesso que o 8 é mais a minha cara. Não é vontade de agradar, de ser boazinha, queridinha, apenas não consigo ser diplomática quando minha vontade é de me atracar nos cabelos de fulano (meu lado 80), então fico na minha. Isso posto, quando o bicho pega acaba afetando a minha vida de alguma maneira. Sempre fui assim, nos momentos difíceis e de dúvidas preciso de um tempo de introspecção, de recolhimento, até de sofrimento para ter clareza nas ideias. Esperar meu corpo digerir as coisas ruins que acabam entrando. Queria ser mais “fala na lata”? Queria! Juro que tento, porque faz mal remoer as coisas, mas não tem jeito, minha personalidade não é essa.

Eu acabei de passar por um bloqueio criativo, por isso deixei meu blog de lado, e não foi só isso… sabe aquela sensação de que tudo que fiz nesse período foi pela metade? Quando estou assim, cheia de comichão e confusa, não consigo me concentrar e acabo não fazendo nada direito.

Além de ficar extremamente crítica e não achar nada digno de ser postado! rs

Quer alguns exemplos práticos em fases negras? Carregar a mão no sal, deixar um ou outro arroz sapecar, armários bagunçados (vontade para arrumar? não!), mesa sempre lotada de papel, isso sem falar na criatividade zero na cozinha. Até brinquei com minha irmã dizendo que o inferno astral dos 30 anos começa dois meses antes. Pelo menos no meu caso está fazendo todo sentido.

Sai pra lá coisa ruim!!!

Essa bagunça começou com uma sequência de fatos lamentáveis, que não merecem sequer uma linha de detalhe, mas que de certa forma mexeram comigo, com meu brio, me fizeram remoer durante muitos dias e semanas, e aí a confusão estava instaurada. Não quero culpar ninguém, nunca fui do tipo que culpa terceiros pelas mazelas da vida, sempre acho que os resultados da nossa vida, bons ou ruins são méritos nossos. Então se me afetaram foi porque eu deixei alguma portinha aberta para a língua afiada de outras pessoas me atingirem. Pessoas colocadas em minha vida para testar a minha fé, paciência e tolerância.

A desordem aos poucos vai indo embora, à medida que minhas certezas chegam e excluo tudo aquilo que não faz parte das minhas vontades. Não digo que é fácil, porque existem muitas pessoas mal resolvidas, e são elas que não acreditam na felicidade, no sonho, na cor, no sabor, estão apenas envolvidas em seu mundo de “certezas” e “opiniões próprias” onde não há espaço para o novo.

Escrever é uma catarse. Escrevendo eu organizo ideias, entendo sentimentos e posso me libertar dos meus próprios preconceitos. Esse blog é meu hobby mais delicioso e nunca quero dar a desculpa de que não tive tempo para escrever, pois é algo que eu faço nas horas livres e posso com certeza trocar a TV ou a internet por um tempo resolvendo minhas pendengas emocionais. Faço por mim.

Vamos falar de comida? Enrolei tanto pra chegar aqui não é mesmo? Hoje o escolhido é o risoto, pois uma vez dominada a técnica do preparo, não há bloqueio criativo no mundo que te impeça de fazer. Praticamente qualquer coisa que tiver na geladeira serve para escolher o sabor.

Risoto de Rúcula, Tomate Seco e Queijos

Ingredientes para duas pessoas:

1 e 1/2 litro de caldo de legumes
1 colher (sopa) de azeite de oliva extra virgem
1 maço pequeno de rúcula picada
80 grs de tomates secos em pedaços
2 colheres (sopa) de manteiga
1/2 cebola picada (pequena)
1 xícara de arroz arbóreo
1 xícara (café) de vinho branco seco
100 grs de muçarela cortada em cubos
100 grs de queijo parmesão ralado

Modo de fazer:

Primeiro de tudo é deixar o caldo de legumes pronto e aquecido no fogo baixo durante todo o processo de cozimento do risoto. Confesso que nunca fiz um caldo fresco, recorro ao caldo de legumes em tablete diluído em água mesmo.

Refogue no azeite metade da rúcula e o tomate seco. Acrescente uma colher de chá do vinho branco, deixe evaporar e reserve. Já deixe reservada também a outra metade da rúcula crua.

Numa panela larga doure a cebola em metade da manteiga, acrescente o arroz (SEM LAVAR!!!) e refogue por cerca de 2 minutos. Adicione o vinho branco e deixe evaporar em fogo baixo. Junte, uma concha por vez, o caldo de legumes quase em ponto de fervura. À medida que o arroz for secando, coloque mais caldo, esse processo leva cerca de17 a20 minutos. De preferência faça esse processo sem parar de mexer para evitar que grude nas laterais e no fundo, além do que, quanto mais você mexe o risoto, mais ele libera amido, o que vai garantir que fique cremoso. Quando estiver al dente (cozido firme, sem estar duro ou com uma pontinha branca em seu interior), mas cremoso, junte a rúcula com o tomate seco, a rúcula crua e os queijos. Mexa para misturar um pouco, desligue o fogo, acrescente o restante da manteiga, mexa delicadamente de novo, tampe por 1 minuto e sirva na sequência.

Dicas importantes:

O esquema do risoto é colocar uma concha de cada vez, sempre esperando que o caldo seque antes de colocar a próxima concha. No total deve dar mais ou menos umas 8 conchas de caldo, mas o cálculo do tempo é quase imbatível, entre 17 e 20 minutos estará pronto.

Existem algumas receitas que recomendam fogo alto, para mim não funcionou! Apenas quando fiz usando fogo baixo que deu certo.

Nunca, em hipótese alguma deixe de mexer o danado, senão ele gruda que é uma beleza, ou seja, quando for fazer risoto, saiba que serão cerca de 20 minutos com a barriga no fogão.

Última dica, mas não menos importante, risoto não é feito com arroz comum ok? Se você encontrar receitas que dizem que sim, fuja delas, estará fazendo um risoto paraguaio, ou seja, falso!

Deleite-se!

Anúncios
Esse post foi publicado em Desabafos, Receitas de Risoto/Arroz. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Bloqueio criativo

  1. Luiza disse:

    Que bom que você esta melhor e voltou a escrever…adoro esse Blog e não gostei de ficar sem ..rsrsrs. Beijão Tati!

  2. Vanessa disse:

    Ahhhh gata garota! Levanta, sacode a poeira e da volta por cima… É isso ai! Com certeza, ninguém ta livre dos percalços da vida, nem das fraquezas na percepção de tomar essa ou aquela atitude e muito menos livre, do julgamento, muitas vezes equivocados, dos outros. Mas só quem tem maturidade e inteligência emocional, pega tudo isso, coloca numa caixinha, reflete e aprende… dia após dia… Isso torna a vida, até muito mais interessante… Um eterno curso, daqueles tipos que amamos o professor, o assunto… e esperamos que ele nunca acabe, aquele bem instigante… Essa é a escola da vida, que pra quem presta atenção, percebe que está aprendendo o tempo todo e com todos, até com os mal resolvidos…
    E de quebra, ainda essa receita maravilhosa! Eita bloqueio criativo “do bom”!

  3. Pingback: Tati de A a Z | Deleite da Vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s